24.3.16

O destino tem me pregado peças, ganho várias chances, como num videogame, morro e ressurjo viva. Quando não há esperança, nasço das cinzas: resta uma fagulha que reascende. Sou aquela vela no bolo de aniversário, que ninguém consegue apagar.

2 comentários:

Heidn Carvalho disse...

Amanda, parabéns. Tenho gostado dos seus escritos!

Hospício Temporário disse...

Que maravilha! Aproveite tudo isso, moça.