4.8.14

Dói o não saber, o não entender, dói o imaginar, eu fico tentada a criar fantasias para fugir da óbvia realidade, mas sei que isso apenas atrasa a minha cura, por isso jogo fora meus pensamentos e minhas emoções. Fico querendo conversar com o seu coração, de longe, fico procurando sinais de que tudo não passou de um pesadelo, mas os sinais que você emite são propositalmente turvos demais para mim. Você não quer ser decifrada, nem por mim nem por outro alguém, você prefere um amor distante a um amor real, e eu me tornei real demais. Fico muito tentada a brincar com você nesse jogo de gato e rato, mas eu teria que ser, irremediavelmente, o rato, e eu já fiz isso antes, muitas vezes. Eu achei que havia cruzado o seu caminho para lhe curar, deixando para trás, assim, mais um pedaço do meu coração. Agora acho que talvez tenha sido o contrário, pois vejo em você alguém que eu já fui e não quero mais ser.

Nenhum comentário: