21.11.13

É irônico que algumas pessoas atravessem o meu caminho tantas vezes e em destinos tão improváveis, como naquela rua que eu normalmente não estaria, num horário que eu normalmente estou trancafiada no trabalho. Resolvi seguir por um caminho que nunca sigo e encontrei novamente. Outras pessoas, apesar de desejar baixinho, nós nunca encontramos, e se não fossem os encontros marcados antecipadamente jamais encontraríamos? Aquela pessoa que cruza tanto o meu caminho, tão tarde para nós dois, que apesar de andarmos perto nos perdemos há tanto tempo. Poderíamos ter andado juntos? Acho que não. E quando encontro aquele alguém que não está destinado, é unilateral, nos enxergamos em tempos diferentes. Lembro bem do dia em que atravessei a rua, quando me escondi atrás dos óculos escuros, torcendo a cabeça rapidamente para o lado, pensando dessa forma me tornar invisível, negando o fato de que já era invísivel aqueles olhos. Lembro também quando avistei um silhueta ao longe e desisti de almoçar naquele restaurante. As pessoas que eu nunca teria encontrado se não tivesse forçado essas linhas que atravesso diariamente no mapa da minha vida, com elas aprendi também grandes lições sobre mim.

Nenhum comentário: