14.8.12

Pode rir, pode tirar sarro da minha perdição, quando eu fico falando besteiras, quando eu fico pensando bobagens, e te canto como se estivesse num bar de quinta categoria de beira de estrada, justo eu, uma mulher educada e que sempre fala baixo. Acho que o que torna o meu tempo com você um tempo que não é totalmente perdido, é justamente a forma com que você me faz me desconstruir e faz do perdão algo menos doloroso. Pode se arrepender de não ter se interessado em ler as linhas que eu escrevo aqui e as linhas que eu escrevo com o meu corpo no ar, principalmente estas, que as outras não valem mesmo muito à pena. Por que quando você fala alguma coisa sobre fome ou doce, sobre sono ou dor, sobre riso ou prazer, alguma coisa sobre qualquer coisa ou coisa alguma com sentido, eu tenho febre. Qualquer coisa me remete a nós, sozinhas, entre quatro paredes - até por que é só isto que dá certo entre nós. Pode achar graça de como me tem na palma da sua mão, é engraçado mesmo, e eu adoro o seu riso sacana.

Nenhum comentário: