30.6.11

Se eu  entrasse na loja - passo todos os dias na frente - e experimentasse o casaco roxo de lã, provavelmente, eu descobriria que ele não é tão bonito, nem modelado para o meu corpo, nem tão feito para mim como parecia quando estava dobrado na vitrine. E isso também vale para tudo que eu observo sem experimentar.

Sinto que você se aproxima, me aproximo. Eu quero você próxima, colada em mim, dentro de mim. Você se aproxima demais, tento recuar. Quando você se aproxima demais, quero demais. Tenho medo dessa fusão. Preciso me prender à verdade - raramente colo a tarja preta da verdade sobre os fatos - que para você eu sou uma ideia, significo pouco. Eu continuo, por que não posso desistir do que me aquece, me faz sorrir. Você promete, mas você muda de ideia como quem muda de roupa. Você tem muitos "mas".

Eu te quero, "mas" não quero o que vem depois.

Nenhum comentário: