26.1.11

É possível ter raiva e ao mesmo tempo amar. Digo isso apesar de todos os olhares que se desviam, porque os olhos são imãs, uma vez dentro deles é possível absorver o sentimento alheio, é atestar que o outro existe e sofre, ver-se nos olhos dos outros é existir. Agora me preocupo com o que vejo nos olhos dos que me cercam, a maior parte os desvia dos meus no primeiro contato, porque os meus olhos, principalmente, acusam, enlaçam, roubam, derramam, afrontam, suplicam. É preciso coragem para olhar dentro deles, sob a pena de se ver desnudo.

Uma vez ela me disse que sou água. E que me afogo lutando para sair da água. Sim, sou água, ela estava certa, mas respiro, sobrevivo no fundo, nado e me dissolvo.

3 comentários:

Beleza de Ser disse...

Bom demais. Tão intenso, tocante e arrepiante esse trecho: "ver-se nos olhos dos outros é existir".

Abraços.

A. disse...

fico feliz que tenha gostado.

abraços.

carlos emanuel bezerra alves disse...

quando olhamos para alguém e lembramos do seu passado e dos momentos que vivemos juntos, às vezes nem sabemos porque, as pesssoas que estam ao nosso redor são como outras de vidas sempre diferentes