28.12.10

Pensamentos tristes me levaram a pensar que só existe uma pessoa capaz de me amar como eu sou, quantas vezes por baixa auto estima pensamos assim. Só ela me conhece, só ela me aceita, só ela me ama, como se fosse o único destino possível, sinto vontade de me jogar nos braços dela, mas ao mesmo tempo me pergunto se é exatamente o que eu quero. Não gosto de conformismo e eu já sei ser só. O que se quer é tão relevante? Afinal a gente quer com tanta força, batalha, e nem por isso as coisas acontecem, aliás, quase nunca acontecem. Eu me lembro de frases do tipo: a pessoa que tu quer tem que te querer também (ao contrário de tu tem que querer quem te quer). Ela me perguntou: a outra pessoa estaria do teu lado só pela companhia? Eu respondi: sim. Ela devolveu a pergunta: por que tu acha que ela ficaria só pela companhia?

(...) e quando a gente resolve se jogar de cabeça e no final do caminho, quando está terminando de cair, descobre que, mais uma vez, não há ninguém para segurar.

Nenhum comentário: