17.6.10

Dói muito menos quando a gente deixa de sentir o mundo em um só corpo pulsante, quando passamos a perceber cada pessoa como uma ilha, com seu clima, sua vegetação, seu humor, sua tormenta. É tranquilo admirar de longe a ilha ao lado, sem ter que chegar lá. Não machuca a separação, a solidão, a indiferença, quando há paz dentro da nossa própria ilha.

Agora silêncio, só um quebrar de ondas pequenas, vento leve balançando as árvores, pássaro cantando e a minha respiração.

Nenhum comentário: