9.3.10



Meus sonhos, na maioria das vezes, refletem a minha vida, de modo distorcido. Quem dera meus sonhos tivessem asas próprias, fossem além do que conheço, quem dera eu encontrasse neles o que me falta, aprendesse neles o que ainda não aprendi de olhos abertos. Quem sabe assim descansaria à noite de uma vida sem novidades, sendo qualquer coisa que sonhasse ser. Que meus sonhos comecem a dar licença aos meus desejos.

Um comentário:

Karlla Vierbrunen disse...

você é um auter ego meu?
Poxa...parece q estou escrevendo, ao ler você!!