21.10.09

Havia decidido não fazer nada, assim como quem imagina que tem algum poder sobre o curso da vida. Mesmo que tenha tomado algumas decisões, descartado algumas possibilidades ou se trancado em casa como um monge, sabia que a vida se desenrola, muitas vezes, por si só, mas estava mesmo decidida a não mexer nenhuma palha do palheiro, tampouco atear fogo, como havia feito tantas vezes para apagar incêndios. Além disso, já era quase novembro, em seguida seria fim de ano, tinha planos para o Natal, no Ano Novo preferia nem pensar, viagens para as férias, quando à beira mar estaria melhor a sós com suas próprias pernas, sabia que em fevereiro virava bicho do mato, e carnaval nunca lhe dera sorte. Por isso, resolveu deixar para começar tudo outra vez nas águas de março fechando o verão com chave de ouro.

Nenhum comentário: