7.4.09

De dentro do carro eu vejo a estrada de terra ficando para trás. Sinto o desconsolo de saber que não tem volta, um nó na garganta de conhecer o definitivo, porque é um lugar que eu não posso mais habitar. Tudo muda o tempo todo na vida. Agora é preciso virar o rosto para o caminho que está na minha frente. Para onde sigo, o caminho no qual me transformei, o caminho novo e desconhecido, convicta de que é a decisão mais acertada.

Um comentário:

nada disse...

BEIJÃOOOOO!