29.3.09

Por trás da alegria e do riso, pode haver um temperamento grosseiro, duro e calejado. Por trás do sofrimento, contudo, só há mais sofrimento. A dor, diferentemente do prazer, não usa nenhuma máscara. A verdade na arte não faz nenhuma correspondência entre a idéia essencial e a existência acidental. Não há a semelhança que existe na relação entre o objeto e a sua sombra ou na relação entre o objeto e a sua forma refletida num cristal. Não é um eco que brota de uma caverna em uma montanha, tampouco um poço em um vale, cheio de água prateada, que revela a lua para a lua e Narciso para Narciso. A verdade na arte é a unidade da coisa em si mesma, o externo torna-se a expressão do interno, a alma encarna-se e o corpo fica empregnado pelo espírito. Por essa razão, não há verdade comparável ao sofrimento. Há ocasiões em que o sofrimento me parece ser a única das verdades. Outras coisas podem ser ilusões para os olhos ou para os apetites, cegam alguns e saciam a outros. Foi a partir do sofrimento, porém, que mundos foram contruídos, o nascimento de uma criança ou de uma estrela só se dá na presença da dor.

Oscar Wilde em De profundis

Um comentário:

D. disse...

Como esse livro é bom!!

E como nos fala no peito... Só quem já sentiu sabe!

Beijo.