7.12.08

Tudo de mais lindo, conjunto olhar, sorriso, voz. Ainda me perco imaginando coisas, é tão solitário. Por que eu fui fazer isso comigo? Aos poucos consigo salvar a minha mente dessa brincadeira na qual me envolvi, mas ainda não estou curada. Posso medir a catástrofe pela profundida da cicatriz ou pelo tempo que vou levar até conseguir pôr o pé na rua de novo. Tem sido cansativo, conferir todos os dias que tudo continua igual e cuidar pra que nada se modifique, nem pra melhor nem pra pior. Ainda faz parte dos meus sonhos, sonhos distantes, tão distantes que agora parecem impossíveis. O mais surpreendente é que eu não quero mais! Eu sou daquelas que acredita em "à primeira vista", sabe. Se não foi... já era. Eu deixei de dizer o que deveria. Eu ouvi o que não queria. Eu criei conjecturas demais. Não tem mais conserto.

Nenhum comentário: