10.12.08

Meu sonhos estão cada vez mais surreais, impossíveis de contar. Sonhos pesadelos que eu não tenho coragem nem sequer de contar pra mim mesma. É incrível como a minha mente consegue colorir os fatos e os meus pensamentos, me dando muito trabalho nas interpretações. É libertador, mas assustador, descobrir que aquela pessoa no escuro sou eu, aquela atrás da porta, aquela de quem eu tenho tanto medo. Algo em mim se modificou. Foi mexido, revirado, se transformou. Estou em um processo de tentar voltar à normalidade, o que talvez não seja a melhor opção, aliás acho que é impossível. Melhor deixar fluir, mas com carinho, sem me machucar. Não ter medo de me conhecer e de ser o que sou. E respeitar o sangue que corre nas minhas veias, que eu sei que é bem vermelho, bem vivo.

Nenhum comentário: