26.11.08

Pôr-do-sol

Essa é a hora do dia que eu mais temo: o pôr-do-sol. Quando o sol começa a se pôr e fica essa luminosidade cor-de-laranja me dói tão fundo, tenho vontade de chorar de dor. Se eu choro fico melhor, se não sofro ainda mais, a tristeza, a raiva, a impotência contidas me arrasam. É como se todas as agruras da minha vida se resumissem no pôr-do-sol, todas as minhas frustações, todas as minhas depressões, absolutamente todos os momentos mais difíceis da minha vida me passam pela cabeça num raio. As minhas esperas em vão. A vida inteira eu esperei por alguém ao pôr-do-sol e esse alguém nunca chegou.

Um comentário:

Leo disse...

eu escrevendo sobre o amanhecer, tu escrevendo sobre o por-do-sol... rs