2.10.08

mentiras sinceras

eu sou muito racional, acabei de me dar conta. eu sei, parece incoerente, a louca drama queen insensata impulsiva que vive chorando pelos cantos que toma remédios para dormir que se apaixona semanalmente, sim, EU mesma, eu sou muito racional. para demonstrar o quão racional eu sou, eu invento as minhas doenças, e sou capaz de inventar uma paixão para ocupar meu tempo obsoleto. entenda-se tempo obsoleto por todo o tempo. entenda-se todo o tempo por toda uma vida de paixões. eu ia escrever mais um texto sobre corações, daí fui tirar um cochilo, voltei, e me dei conta: que piada! eu entregar meu coração a alguém? never! nunca! ja-mais! primeiro, coração não se dá. segundo, seria expor meu pobre coração esfarrapado ao ridículo. terceiro, coração não se aceita. Eu não submeteria meu coração que já apanhou, já sofreu, já chorou, já gemeu, já tropeçou, já se f... e teve tantas noites de insônia. se um dia eu vier com esse papo de que entreguei meu coração, saibam, é mentira.

Nenhum comentário: