29.8.08

Constatação

Dor dilacerante que vem e que vai, que dá e que passa. Eu, mais uma vez, sentada nas prateleiras do tempo e das pessoas, sentindo a vida em suspenso. Enquanto isso, o cérebro trabalha em segredo, a mil por hora e organizadamente.

Nenhum comentário: