11.7.08

Talvez...


Persona - Ingmar Bergman

2 comentários:

dri disse...

O estranho é quanto mais somos nós mesmos, mais ficamos sozinhos... A vantagem é que ficam apenas as pessoas que importam, mas ainda me causa uma sensação estranha a quantidade de máscaras a serem usadas para que certos tipos de pessoas te respeitem como ser humano, é estranho e deixa uma sensação ainda maior de nulidade.

Amanda disse...

disse tudo. :)

é um luta sermos nos mesmos.
primeiro é um briga interna, pq carregamos toda uma carga de ter que ser determinado tipo de pessoa.
depois é uma briga externa, se afirmar, conquistar o respeito dos outros. e nisso, às vezes, a gente tem que desistir e cair fora.

as pessoas vêm e vão, pelo menos na minha vida, já me acostumei que seja assim, embora ainda sofra às vezes quando elas desaparecem de repente. ainda bem que as que importam sempre ficam. :)