26.6.08

De tanto recompor-me destruí-me.

193.

Tornei-me uma figura de livro, uma vida lida. O que sinto é (sem que eu queira) sentido para se escrever que se sentiu. O que penso está logo em palavras, misturado com imagens que o desfazem, aberto em ritmos que são outra coisa qualquer. De tanto recompor-me destruí-me. De tanto pensar-me, sou já meus pensamentos mas não eu. Sondei-me e deixei cair a sonda; vivo a pensar se sou fundo ou não, sem outra sonda agora senão o olhar que me mostra, claro a negro no espelho do poço alto, meu próprio rosto que me contempla contemplá-lo.


(Fernando Pessoa no Livro do desassossego)

2 comentários:

Clai disse...

Eu prefiro o 127, hehehehe... brincadeira, nem posso comparar pq ainda nao parei pra analisar... agora virou moda, acho q eh culpa das companhias tudo eh analisavel... bjinhos, fica bem.. nos "vemos" em breve..

dri disse...

Ê Pessoa velho de guerra...